18/11/2013

(F)utilidade (Mal)dita

Estar e não ser
Saber e não ouvir
Nem viver
Apenas conviver

A utilidade dita
As relações, o trabalho, a vida
A futilidade maldita

Deixar de ser
O relógio

A agilidade dita
O tempo
De ser útil e fútil

Poesia: Larissa Scherer

Fotografia: Dago Vianna
Ocorreu um erro neste dispositivo